segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Piranha Baby

Piranha baby

A ideia era fotografar a jovem com as suas t-shirts cómicas para bebés. Ela pediu-me se podia incluir o filho, que também teria uma vestida. Tudo bem, eu tento sempre fazer o que me pedem, desde que também possa fazer o que quero/preciso.

Entretanto o miúdo andava por ali com uma máquina digital de brincar (literalmente) e eu reparei que aquilo dava uma flashada muito limpinha, tipo Holga, mas mais fraca. Decidi que ia tentar pôr o flash dele a fazer disparar os meus dois, ambos a funcionar em modo escravo fora da máquina.

Era só uma questão de convencer o puto tirar-me uma foto com a máquina dele durante a minha exposição de 1s. Não foi fácil fazer aquilo tudo bater certo, porque o miúdo ora não queria disparar, ora disparava cedo demais, mas lá consegui duas ou três exposições "sincronizadas".

Apesar do esforço não ficou grande coisa porque a exposição de um segundo, mesmo para a fraca luz ambiente, era muito longa e criou um fantasma maior do que eu gostaria - eu estava sem tripé, e de qualquer das formas o miúdo não parava quieto por isso eu tinha que me mexer para procurar o enquadramento melhor.

A solução passaria por reduzir a luz ambiente e/ou baixar o ISO e/ou fechar o diafragma. Estas duas últimas opções implicariam dar mais gás aos flashes, coisa que eu ainda tinha alguma margem para fazer, se bem me lembro. Isto tudo combinado até me permitiria aumentar o tempo de exposição para melhorar a probabilidade de "sincronismo".

Para além disso, a imagem tem demasiado detalhe e para publicar num tamanho relativamente pequeno, mesmo sem o problema do fantasma, não resultaria lá muito bem. Acabou por ser escolhida uma outra, mais "normal".

Mas pronto, foi giro pensar e por em prática isto tudo em poucos minutos (menos do que demorei a escrever este post, acho).

1 comentário:

fukujitso disse...

gosto bastante!