quinta-feira, dezembro 21, 2006

Como "Bater um Branco" Com a Jola - Essa Ciência Oculta, ou Como Passar o Tempo à Espera de Um Bitoque - Uma Sugestão



Há pessoas que fazem telefonemas ou enviam SMS como forma de ajudar a passar o tempo. Quem tenha ido de camioneta para o Algarve recentemente deve compreender na perfeição o que quero dizer. Outros usam o telemóvel como mini consola de jogos para esse fim. Eu, que sou um pouco avesso ao "frita-cabeças", divirto-me a explorar os menus da máquina fotográfica. E se a Jola tem o que explorar! Aquilo nunca mais acaba, são menus para tudo e mais alguma coisa. Ainda por cima, cada opção de cada menu tem (pelo menos) uma página de ajuda. Tudo junto deve equivaler em tamanho a'Os Maias.

No outro dia, esperava eu por um bitoque que não havia maneira de aparecer, sem ter jornal nem revista por perto, peguei n'Os Maias em edição Nikon. Resolvi descobrir de uma vez por todas como é que se "bate um branco" com a Jola. Na D70 era fácil e nunca sequer me tinha ocorrido que
fazê-lo podia ser uma questão complexa. Mas depois andei a usar uma D100 uns tempos e levou-me algum tempo e alguns "ciclos de CPU" até descobrir como. Foi o meu primeiro embate com essa ciência oculta que é o modo "preset" do balanço de brancos. Sendo o Jola a sucessora da D100 e ambas de uma gama mais profissional do que a D70, era de esperar que a lógica da coisa fosse mais parecida com a da sua prima direita do que com a da sua parente afastada.

Depois de muito fuçangar (foi mesmo até chegar o bitoque!!) lá descobri. Ao contrário da D100 que tem um "preset", a Jola tem cinco. Infelizmente nas instruções não explica para que raio quero eu armazenar cinco brancos diferentes, mas pronto, são cinco. A forma de os obter é mista: pode-se fazer como na D100 (fotografar o branco directamente para dentro do "preset") ou então como na D70* (carregar o "preset" com uma imagem previamente fotografada). Em qualquer dos casos, apenas o primeiro "preset" pode ser actualizado directamente. Os outros quatro são actualizados por cópia do que foi introduzido no primeiro. É um bocado rebuscado, mas depois de se saber como funciona não tem nada de especial (e vem descrito nos ecrãs de ajuda).

Posto isto, resta-me acrescentar que o bitoque não estava nada mau.

________
* Enquanto escrevia este "post" resolvi averiguar e descobri que na D70 também se pode "bater um branco" directamente sem recorrer a uma imagem previamente armazenada. Mas para o fazer é necessário recorrer aos menus, enquanto que nos outros modelos dá para fazer directamente. Suspeito que na D100 também dê para carregar o "preset" a partir de um branco previamente fotografado, mas não tive paciência de ir ver. Afinal, provavelmente todas o fazem das duas maneiras, mas como na D70 é por menus, está lá tudo escrito e parece mais intuitivo para o utilizador básico que não está interessado em ler manuais.

2 comentários:

Fukujitso disse...

tens de ter cuidado com a alimentação ;)

XL Man disse...

ao trabalho a que tu te dás só pra mostrares a máquina nova!...