quarta-feira, novembro 15, 2006

16-35 @ 5D, continuação

1. Eis o resultado de uns testes sumários com uma 5D emprestada.

2. Se eu tivesse gasto muito tempo a ler o DPReview não teria sido surpresa para mim descobrir que a 5D é praticamente igual à 20D em termos de controlos. (ver ponto 6)

3. Em cima do "full frame" (FF), a 16-35 comporta-se como uma 16-35, com todos os seus defeitos e virtudes. Para os "fãs" do FF isto é uma coisa extremamente positiva. Para mim é indiferente. Eu não "faço contas" para saber que na minha máquina uma 17mm é uma grande angular, uma 28mm é uma normal e uma 50mm é uma "tele curta". As mesmas "contas" que não faço para saber que em 6x6 uma objectiva de 50mm é uma grande angular.

4. O desempenho da 5D em situações de alto ISO é melhor do que eu estou habituado e parece que é melhor do que a concorrência (Nikon D200). Não será por acaso que a Canon é famosa relativamente a este aspecto. Mas também vi que essa performance se degrada muito quando a luz diminui, o que aliás não é nada surpreendente. O que vi não chegou para me fazer "urrar de prazer", mas talvez eu esteja a ser mauzinho...

5. Bem vistas as coisas, as grandes vantagens da 5D não me fascinaram assim tanto: a "pica" do FF não me contagiou por aí além (a culpa é minha; nunca tive uma 16mm por isso nunca me tornei "viciado") e o baixo ruído que pude ver não me conseguiu fazer acreditar que se justifica a diferença de preço (a principal desvantagem da 5D).

6. Do lado das desvantagens há ainda, como já referi no ponto 2, o facto de ser praticamente igual à 20D. É uma máquina encantadora, de facto, é mais rápida do que eu estava à espera (ler especificações não é o mesmo que pôr as mãos na fera), mas continua a não ter o "feel" profissional que a Nikon D200 claramente tem (ao contrário do que eu estava à espera).

7. Dito isto, algumas imagens.



16mm @ f:2,8

Uma "vinhetagem" (?) brutal, a fazer jus ao que se diz por aí. Disparando em RAW deve ser relativamente trivial compensar isto através de software. Partindo apenas do JPG e usando o photoshop, eu tentei e os resultados foram muito fracos e trabalhosos. Talvez haja alguma técnica para lidar com isto e que eu desconheço. A primeira impressão é que não é assim tão fácil de compensar como se diz. Não consegui acertar o "passo" do meu dégradé com o da "vinheta".



16mm @ f:5,6

Com um diafragma um bocadinho mais fechado, a "vinheta" já quase se foi embora. O "borrado" dos cantos ("corner softness") também. Mas fechar o diafragma para obviar aos problemas da lente faz aparecerem os perdigotos todos que o sensor tem em cima - não os limpei de propósito e ainda estamos só em f:5,6. Num sensor com o dobro da área "normal", adivinhem o que acontece ao número de perdigotos...



16mm @ f:3,5
Como também se diz por aí, na maior parte das fotografias da "vida real", o efeito da "vinheta" ou não se distingue, ou é irrelevante. É o que acontece aqui, acho eu. Para quem está à procura é visível, mas não me parece que perturbe nada o desfrute desta foto da treta.

8. Só mais uma coisinha. Achei que os pontos de focagem estavam muito juntos, em volta do centro. É como se estivessem à mesma distância do centro do que estão na 20D, só que aqui o sensor é maior... Não fica lá muito fixe. Ou se foca sempre ao centro e se reenquadra - e nesse caso não percebo porque é que os engenheiros da Canon se dão ao trabalho de pôr lá os pontos e nós nos damos ao trabalho de os elogiar por isso - ou então aquilo fica com a sua usabilidade um pouco limitada; dava mesmo jeito se cobrissem uma proporção maior do (full) frame.

9. Finalmente decidi-me pela D200. (Ufa, que estava difícil!)

2 comentários:

Anónimo disse...

Paz à sua alma... A menos que daqui a uns anos ganhes o euromilhões, o arrependimento virá tarde,muito tarde... E só para que conste, a 16-35 não foi feita para digitais por isso tem, além da vinhetagem, aberrações cromáticas e imensos reflexos parasitas. Mas é tão bom andar com ela no meio das confusões e ela focar, e focar, e focar...

Olha, boa sorte com a caranguejola que vais comprar, eheh.

O emprestador

Fukujitso disse...

bom, eu sabia que eras um rapaz ajuizado. have fun!